Sobre o Estresse

O Termo Estresse foi apresentado  pela primeira vez em 1936 pelo húngaro Hans Selye. Uma das melhores definições da palavra estresse continua sendo ” desgaste biológico”. Selye demonstrou, que o organismo quando exposto a um esforço desencadeado por um estímulo (estressor) percebido como ameaçador ou não à homeostase, seja ele físico, químico ou biológico ou mesmo psicossocial, apresenta a tendência de responder de forma padrão e generalizada, utilizando frequentemente vários sistemas fisiológicos. A esse conjunto de reações fisiológicas na qual o organismo participa como um todo, ele chamou de Sindrome Geral de Adaptação que produz certas modificações químicas estruturais químicas e estruturais do corpo. Esta Síndrome consiste em três fases: reação de Alarme, Fase de Resistência e Fase de Exaustão. O conceito de estresse não está obrigatoriamente relacionado com situações ruins ou que possam provocar algum dano ao organismo. situações como no esporte e no trabalho exercidos moderadamente ou mesmo um beijo apaixonado podem produzir estresse moderadamente.

Estresse Agudo: Situação caracterizada pela elevada resposta fisiológica ao estresse ( hormônios e retransmissores envolvidos no processo), porém com duração de poucos minutos, horas ou dias. Essa condição de Estresse é bastante adaptativa e pode ser considerada benéfica ao indivíduo, pois ajuda na resolução de problemas. Um exemplo é quando você precisa montar um grande projeto na empresa, em uma semana e você começa ficar agitado, dormir pouco e pensamentos focados em um único objetivo.

Estresse Crônico:  Situação caracterizada por uma resposta ao estresse leve ou altamente elevado, porém que persiste por um longo período de tempo, semanas ou meses, essa é uma condição estressante bastante prejudicial ao organismo. um exemplo desse estresse crônico pode ser quando você está preocupado com algum parente que esteja padecendo de uma doença crônica, e isso faz apresentar todos os sinais e sintomas do estresse porém em menor intensidade que na situação aguda, todavia durante um período de tempo bem mais longo.

Fases do Estresse

Fase de Alerta: é a fase positiva do estresse, quando o ser humano automaticamente se prepara para a ação, é caracterizada pela produção  e ação da adrenalina, que torna a pessoa mais atenta e mais forte.

Fase de Resistência: Se a fase de alerta é mantinda por períodos muito prolongados ou se novos estresses se acumulam, o organismo entra em ação para impedir o desgaste total de energia entrando na fase de resistência, quando se resiste aos estressores e se tenta inconscientemente restabelecer o equilíbrio interior ( homeostase) que foi quebrado na fase de alerta. A produtividade cai drasticamente, caracterizada pela produção de cortisol.

Fase de Quase- Exaustão: Quando a tensão excede o limite do gerenciável, a resistência física e emocional começa a quebrar, ainda há momentos em que a pessoa começa pensar lucidamente, tomar decisões, rir das piadas e trabalhar, porém tudo isso é feito com esforços e estes momentos de funcionamento normal se intercalam com momentos de total desconforto. Há muita ansiedade nessa fase, a pessoa experimenta gangorra emocional, o cortisol é produzido em maior quantidade e começa a ter efeito negativo de destruir as defesas imunológicas.

Fase de Exaustão: é a fase mais negativa do estresse, a patológica. É um momento em que um desequilíbrio interior muito grande ocorre. A pessoa entra em depressão, não consegue se concentrar no trabalho, suas decisões muitas vezes são impensadas, doenças graves como ulceras, pressão alta, psoríase e vitiligo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *